Portugués

Produção de cereais: os planos da China

A China vai relançar um programa para aumentar a produção de cereais em 50 milhões de toneladas, de acordo com informações do governo chinês. Pequim iniciou um programa em 2009 para aumentar a colheita de cereais na mesma quantidade, tendo-o conseguido em 2012, quando a produção total era de quase 590 milhões de toneladas. Como a colheita de cereais de 2015 se estabilizou em cerca de 650 milhões de toneladas, o objetivo agora é atingir (sem data prevista) 700 milhões de toneladas. A lei das sementes alterada, que entrou em vigor há quase um ano e visa melhorar a qualidade e a diversidade das sementes, também apoia o objetivo da segurança alimentar de aumentar os rendimentos e resolver o problema de ter de alimentar 20% da população mundial com apenas 7% da sua terra arável.

Produção de cereais

A China publicou o seu «documento central número um» para 2023 em 13 de fevereiro de 2023, delineando nove tarefas para promover de forma abrangente a vitalização rural este ano. Garantir a segurança alimentar continua a ser a tarefa prioritária do documento central número um a partir de 2021 (a taxa de autossuficiência alimentar era de 76,8% em 2020 e deverá cair para 65% em 2035, de acordo com Du Ying, ex-vice-diretor da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma). 

Pobreza

De acordo com o governo chinês, a nova ronda de acções para aumentar a capacidade de produção de cereais em 50 milhões de toneladas visa satisfazer melhor as necessidades alimentares internas através do reforço das infra-estruturas agrícolas, da melhoria do apoio a tecnologias e equipamentos agrícolas modernos e do desenvolvimento de uma agricultura eficiente e que poupe água. Além disso, a China está disposta a reforçar a cooperação com outros países em matéria de segurança alimentar e redução da pobreza, a fim de dar um maior contributo para acelerar a aplicação da Agenda 2030 das Nações Unidas para o Desenvolvimento SustentávelAs medidas tomadas pela China para melhorar a capacidade de produção de cereais e garantir a segurança alimentar incluem principalmente o reforço das infra-estruturas agrícolas, a construção de terras agrícolas de alto nível, a melhoria da capacidade das terras agrícolas para resistir e atenuar as catástrofes, bem como o reforço da investigação científica agrícola.