Portugués

Investimento direto estrangeiro global crescerá 3% em 2023

Os fluxos globais de investimento direto estrangeiro (IDE) cresceram 3% em 2023, após uma queda de 16,6% em 2022.Isto eleva as entradas de IDE a 1,365 biliões de dólares no ano passado.Além disso, a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) informou que os anúncios de projetos de investimento internacional, incluindo novos (principalmente industriais), financiamento de projetos (principalmente infraestrutura) e fusões e aquisições transfronteiriças, estavam principalmente em território negativo. Por um lado, o financiamento de projectos internacionais e as fusões e aquisições foram os que mais sofreram com o aumento dos custos de financiamento em 2023, com menos 21% e 16% de negócios, respetivamente. Por outro lado, o número de anúncios de projectos greenfield foi inferior em 6%. No entanto, o seu valor aumentou 6%. Além disso, estes anúncios apresentaram números mais elevados no sector da indústria transformadora, num primeiro sinal de recuperação após uma tendência descendente de longo prazo.

Investimento direto estrangeiro 

Os fluxos de IDE para os países em desenvolvimento caíram 9%, para 841 mil milhões de dólares, e na maioria das regiões os fluxos diminuíram ou estagnaram. O IDE diminuiu 12% na Ásia em desenvolvimento e 1% em África. Manteve-se estável na América Latina e nas Caraíbas, com a América Central a contrariar a tendência. 

Fusões e aquisições

Nas regiões desenvolvidas, os anúncios de projetos de investimento internacional diminuíram de forma generalizada. Os valores das fusões e aquisições foram inferiores em 280 mil milhões de dólares aos de 2022, o que reduziu diretamente os fluxos de IDE. Embora os acordos de financiamento de projetos tenham sido inferiores em 157 mil milhões de dólares, os valores mais baixos dos anúncios de projetos greenfield afetarão os fluxos de IDE em 2024. Nos Estados Unidos, o maior destinatário de IDE, os fluxos de IDE em 2023 diminuíram 3%, e a China registou um declínio invulgar nos fluxos de IDE (-6%).Na América Latina, o Brasil registou menos 22% de entradas de IDE. Embora o número de projectos de raiz se tenha mantido estável, o financiamento de projectos internacionais caiu a pique, com menos 40 por cento de negócios do que em 2022. O México registou um aumento do IDE, bem como um novo aumento nos anúncios de novos projetos greenfield, consolidando a sua posição entre os principais beneficiários globais.

 

Redacción Opportimes